Quinta, 27 Nov 2014

Passeios — Friday, 12 March 2010 — 3 Comentários

Passeio ao Minho e a Santiago de Compostela

DSC06226.JPGUm grupo de quatro dezenas de excursionistas, liderado pelo pároco de São João de Areias e de Currelos-Carregal do Sal, Pe. José António Almeida, viajou até terras do Minho e da Galiza nos passados dias 9 e 10 de Março, com um sol generoso a dar mais alegria à viagem.

Para o efeito, a Agência de Viajes Minho, com sede em Valença do Minho, colocou à disposição um confortável autocarro, conduzido por François Antunes, do Porto, e acompanhado pela guia Liliana Pereira, da Covilhã, dois simpáticos e excelentes profissionais, o que ficou constatado em toda a viagem. A recolha dos passageiros foi iniciada em São João de Areias às 5h30 daquele primeiro dia, ficando completa com embarques em Carregal do Sal, Casal da Torre, Vimieiro e Santa Comba Dão.

A primeira paragem turística aconteceu em Ponte da Barca, terra fidalga, onde abundam as construções apalaçadas. A ponte sobre o rio Lima, a Igreja de São João Baptista e o Pelourinho foram alguns dos monumentos que puderam ser admirados. Também aí se confirmou que a guia era pessoa culta e muito competente na descrição dos mais interessantes pormenores históricos e paisagísticos. Todos a ouviam admirados e maravilhados.

Tendo como meta seguinte a vila de Soajo, a viagem prosseguiu serpenteando o maciço da Serra do Soajo, pertencente ao Parque Nacional Peneda-Gerês e localizado entre as serras da Peneda e do Gerês, onde a Barragem do Lindoso se eleva em pleno rio Lima. Depois de visitado o pelourinho daquela vila, monumento nacional desde 1910, apreciou-se o conjunto de 24 antigos espigueiros comunitários, erigidos sobre uma enorme laje granítica, que também dão fama à vila, datando o mais antigo de 1782.

Retomada a viagem para Valença do Minho, a caminho do almoço, passou-se por Arcos de Valdevez, dando ocasião para a guia narrar a importância da batalha de Valdevez na consolidação da independência do Reino de Portugal e mostrar o monumento de homenagem àquela batalha sanguinária, que toldou de vermelho as águas dos rios Vez e Lima, travada em 1140. Foi no Hotel Valença do Minho, pertinho da Agência de Viajes Minho, que se serviu o apetecido almoço. Ficou provado que também a nível da gastronomia o passeio se pautava pela excelência.

A tarde do primeiro dia foi dedicada à visita a Santiago de Compostela, um dos lugares de peregrinação mais importantes do mundo, juntamente com Jerusalém e Roma. À chegada, cerca das 16h30, o sol ainda brilhava mas o frio começava a vencer o calor dos seus raios. As duas horas concedidas para conhecer a cidade foram ocupadas na visita à mundialmente famosa catedral de Santiago e na contemplação de outros edifícios do monumental património arquitectónico de Santiago de Compostela. Ritual obrigatório na visita à catedral, todos deram o abraço a Santiago, desceram à cripta onde se encontra o túmulo deste apóstolo e transpuseram a porta santa, aberta este ano por 2010 ter sido convocado oficialmente Ano Santo Compostelano, cuja celebração perdoa todos os pecados aos fiéis que viajem a Santiago de Compostela.

O regresso a Valença do Minho foi a etapa seguinte, atingida após cerca de duas horas de viagem, dessa vez com destino ao Hotel Lara, onde foi servido o jantar e se pernoitou. A gastronomia minhota voltou a merecer as melhores referências, o mesmo tendo sucedido com a simpatia do pessoal e a comodidade dos aposentos. Um duo musical, de órgão e viola eléctrica, animou a refeição e o bailarico espontaneamente gerado, com direito a prémio de simpatia e a prémio de melhor par de dança, saindo contemplados, respectivamente, uma senhora de Sobral (Carregal do Sal) e um par de Santa Comba Dão. Outra surpresa do jantar foi o sorteio de um presunto através de números que cada um retirou aleatoriamente de uma bolsa. Esse presunto viajou para Casal Mendo (Carregal do Sal) com o feliz contemplado. Manuel Teixeira, de Castelejo (Santa Comba Dão), aniversariante nesse dia, teve direito ao cantar dos parabéns, com acompanhamento musical, e às felicitações de todo o grupo. À meia-noite, com a abundante e saborosa refeição já desgastada, pôs-se fim ao divertido bailarico e todos recolheram, visivelmente satisfeitos, aos seus quartos.

O sol voltou a raiar na manhã do dia seguinte e mais uma vez se deu graças a Deus por, depois de dias chuvosos, ventosos e friorentos, ter presenteado este passeio com um agradável tempo soalheiro. Após o pequeno-almoço, também servido pelo Hotel Lara, rumou-se até à costa atlântica das Rias Baixas, na Galiza, passando por A Guarda (La Guardia) e por Oia, onde se admira um mosteiro único, uma espécie de fortaleza à beira mar. O destino era Baiona, bonita cidade, que integra o Caminho Português de Santiago de Compostela, pela costa. Na sua marina desportiva, no molhe junto à imponente Fortaleza de Monterreal, contempla-se a réplica da caravela Pinta, uma das três embarcações da frota de Cristóvão Colombo na descoberta da América. Transformada em museu, esta caravela faz reviver as façanhas dos descobrimentos, mostrando, entre outras reproduções, as figuras da tripulação e dos indígenas americanos à chegada a Baiona em 1493.

No regresso a Valença do Minho, já com a hora do almoço a aproximar-se, em A Guarda fez-se um desvio em direcção ao Monte de Santa Tecla (Santa Tegra). Uma paragem a meio do monte deu ocasião para se apreciar o surpreendente Castro de Santa Tegra, da Idade do Bronze, sítio arqueológico também conhecido por Citânia de Santa Tecla, que chegou a albergar no século I a.C. mais de cinco mil residentes. Do seu alto, nos miradouros naturais do Pico de S. Francisco e do Facho, avista-se uma panorâmica espectacular sobre a Foz do Rio Minho e o Oceano Atlântico, de um lado, e as vilas piscatórias de A Guarda (espanhola) e de Caminha (portuguesa), do outro. Também os monumentos arqueológicos despertam a curiosidade do visitante, incluindo a antiquíssima capela de Santa Tecla. Desta santa, chamada de “protomártir entre as mulheres” e “igual aos apóstolos” e venerada como padroeira dos agonizantes, diz-se que um nobre chamado Alexandre a desejou e tentou raptá-la, mas que ela lutou com ele, agredindo-o, e por isso levada a julgamento. Condenada a ser devorada por animais selvagens, foi salva milagrosamente pelas fêmeas daqueles animais, protegendo-a contra os seus machos.

De novo em Valença do Minho, o autocarro fez paragem na Quinta do Amorinho, espaço onde prevalecem a beleza dos jardins e o requinte das suas instalações, a par da qualidade gastronómica e da simpatia do pessoal do Hotel Lara, com o qual a Quinta do Amorinho trabalha em parceria na realização de todo o tipo de eventos, como desfolhadas, festas da lampreia, do vinho verde e da matança do porco, bodas, almoços e jantares regionais, entre outros.

Estando-se no período da Festa da Lampreia, os apreciadores desta rara iguaria tiveram ali ocasião de saborear uma apetitosa lampreiada à moda do Minho, mas com opção de prato diferente para os que não a apreciam. A animação musical voltou a marcar presença no almoço, dessa vez de cariz folclórico, interpretada por um exímio tocador de concertina e uma excepcional cantadeira, ambos trajados a rigor. Foi o corolário de todo o entusiasmo que envolveu o passeio, apetecendo mesmo dizer que foi a “cereja em cima do bolo” como na gíria se usa.

Os parabéns voltaram a ser cantados, dessa vez contemplando a aniversariante Eduarda Mota, de Vimieiro (Santa Comba Dão), também acarinhada com as felicitações de todo o grupo. Esse momento de atenções e felicitações incluiu ainda a entrega dos prémios conquistados na noite anterior. Como prémio do sorteio já se sabia tratar-se de um presunto, mas a maioria desconhecia de que constavam o prémio simpatia e o prémio do melhor par de dança. A curiosidade dissipou-se quando um gerente da Quinta do Amorinho fez a entrega de três garrafas de vinho verde a cada um deles.

Caminhava assim para o fim um passeio que a todos divertiu e contentou, decorrido em ambiente fraterno e de sã camaradagem. Prova disso foi também a alegria que reinou em toda a viagem, quer em momentos de oração quer ainda nos apreciados momentos de paródia que o pároco José António Almeida sempre protagoniza. “Para mim o Padre José António é uma surpresa, às vezes a seriedade que a Igreja tem afasta as pessoas, mas com ele as pessoas têm maior motivação para se dedicarem à Igreja”, afirmou a guia ao despedir-se do grupo, antes de desembarcar em Viseu.

“O que mais me magoa é a ingratidão”, disse, por sua vez, o sacerdote, dando então a saber que acabava de ser informado que no dia seguinte iria ter a visita de dois inspectores da Segurança Social por acusação anónima de que tinha idosos do Lar São José a trabalhar na quinta. “Há pessoas tão perversas, tão más, que se dão a estes ridículos”, comentou, contando ainda que também a ASAE recebeu recentemente uma denúncia anónima a pôr em causa a higiene do Lar. Segundo disse, os inspectores da ASAE nada encontraram que penalizasse o Lar e acabaram por lhe dar os parabéns, elogiando que ainda não tinham visto um lar tão bem limpo e arrumado.

Outras excursões irão seguir-se por iniciativa deste sacerdote, incluindo uma viagem aos Açores, de 6 a 10 de Maio, e uma peregrinação à Roma Clássica, de 14 a 18 de Junho, mas aquela para que, de momento, despertou mais as atenções é um passeio a Ávila, Madrid e Toledo, nos dias 14 e 15 de Abril, adiantando até que já tinha obtido garantia da Agência de Viajes Minho de que a guia será a mesma. De facto, esta garantia é já, só por si, motivo para não se perder esse passeio, colhendo de imediato algumas inscrições.

Lino Dias

3 Comentários

  1. Mariana says:

    Parabéns pela forma como foi descrita esta bela viagem,assim como,as maravilhosas fotos da mesma!
    Ah,já me esquecia…os vídeos ficaram muito bem, gostei !

  2. françois antunes says:

    muito obrigado por ter enviado os videos (ficaram muito bem, adorei me ver a dançar, embora acho nao ter jeito mas o importante é o convivio com as pessoas e sobretudo passar um bom momento com voces).fico muito grato e contente por ter gostado da viagem, é sempre bom poder proporcionar uns bons momentos. de facto tiveram a companhia de uma excelente guia, nao só pelo seu profissionalismo mas tambem pela pessoa em si, é sempre um privilegio em viajar com ela (muito obrigado a viajes minho). mais uma vez obrigado pelo e-mail, espero tornar a fazer mais viagens com voces, por isso ate breve, obrigados

  3. maria says:

    Parabéns Sr Lino, por esta reportagem tão bem concebida, dá oportunidade de rever as bonitas paisagens do Minho,e visualizar que esta viagem foi uma animação para quem teve o prazer e oportunidade de viajar com este grupo.

Deixe um Comentário

Cronistas
Agenda
Agenda completa
Comentários Recentes
Últimos comentários