Simantra Grupo de Percussão foi o grande vencedor do CIMCA 2011

Simantra1.jpg

O II Concurso Internacional de Música de Câmara “Cidade de Alcobaça” (CIMCA), organização da Academia de Música de Alcobaça em parceria com a Câmara Municipal daquele concelho, ocorrido de 10 a 15 de Abril, teve como grande vencedor o Simantra Grupo de Percussão, na categoria sénior, do qual faz parte Ricardo Monteiro, professor de música no Conservatório de Música e Artes do Dão, de Santa Comba Dão, maestro da Banda Filarmónica de Pinheiro de Ázere e executante, entre outras, da Banda Filarmónica de São João de Areias.

Constituído neste concerto em trio, além de Ricardo Monteiro, com Fernando Chaib e Leandro Teixeira, o Simantra Grupo de Percussão arrecadou o valioso prémio de 5.000 euros e alcançou a oportunidade de realizar concertos na temporada de 2012 no Cistermúsica – Festival de Música de Alcobaça, no Centro Cultural de Belém e no Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura.

Nas restantes posições, ficaram o Trio Anès (Sae Lee – piano, Ryoko Yano – violino, Seok-Woo Yoon – violoncelo) no 2.º lugar (prémio no valor de 2500 euros) e o Trio Musicalis (Mario Pérez – violino, Francisco Escoda – clarinete, Eduardo Raimundo – piano) na 3.ª posição (prémio no valor de 1500 euros). O júri decidiu ainda atribuir uma menção honrosa ao Trio Pessoa (Otto Pereira – violino, Raquel Reis – violoncelo, João Crisóstomo – piano).

Na categoria júnior, o 1.º lugar não foi atribuído, tendo o Duo Liz (Eva Mendonça – flauta, Ricardo Pereira – guitarra) conquistado o 2.º lugar, seguido pelo Trio Densité (Mafalda Carvalho – flauta transversal, Samuel Marques – clarinete baixo, Laura Felício – piano). Foi ainda atribuída uma menção honrosa ao Trio com Piano do Conservatório Nacional (Bárbara Costa – piano, Sílvia Martins – violino, Pedro Silva – violoncelo).

Ao Simantra Grupo de Percussão juntou-se, então, o Duo Liz, para actuação no último dia do CIMCA, 15 de Abril, pelas 21h00, no Cine-Teatro de Alcobaça, no Concerto da Cerimónia de Entrega de Prémios e no Concerto dos Laureados.

Este concurso traduz a paixão e dedicação de Alcobaça à música, com expressivo apoio da Câmara Municipal, tendo juntado participantes de várias idades e de várias nacionalidades. A dimensão internacional e o prestígio que o concurso atingiu logo na primeira edição exigiram um júri de qualidade, tendo o mesmo sido constituído por António Rosa (Director Artístico), Hugo Assunção, Pedro Burmester, Alexandre Delgado, António Oliveira, Luís Fernando Pérez Hererro (Escuela Superior Reina Sofia, Madrid) e Gunter Pfitzenmaier (Staatliche Hochschule fur Musik, Kalsruhe).

A própria constituição do júri, com figuras que, só por si, são garantia da qualidade e valia dos premiados, realça ainda mais o êxito do Simantra Grupo de Percussão, do qual fazem ainda parte Luiz Ferreira e Luís Bittencourt, que não tiveram intervenção neste concurso. Parabéns ao Simantra e, particularmente, de forma especial, ao Ricardo Monteiro!

APRESENTAÇÃO

Simantra Grupo de Percussão

Formado no l.jpgano de 2009, o Simantra Grupo de Percussão nasce da necessidade de se organizar um grupo de estudos e práticas interpretativas destinado ao repertório da música escrita para percussão. Os seus integrantes possuem prémios de interpretação a nível internacional em países como Itália, Portugal e Brasil, tendo extensa experiência em palco em território nacional e no estrangeiro.

O grupo funciona como um laboratório de pesquisa buscando também a interacção das diferentes expressões artísticas (artes do corpo e artes visuais) com a música contemporânea. O seu trabalho de investigação inclui a valorização e execução do repertório percussivo realizando estreias, primeiras audições e encomendas de obras. A recuperação (arquivo e execução musical) de obras históricas contidas no reportório, mas com pouco conhecimento do público, também é uma das preocupações desse grupo. Os pilares de sustentação desse projecto passam por ilustrar novos caminhos, novos olhares sobre a performance musical e pela produção e difusão de uma originalidade estética vinculada ao pensamento intelectual-artísitco que esteja ao alcance de todos.

Apesar da formação recente, o Simantra já solou na Orquestra de Sopros da Universidade de Aveiro (Concert Pour Trois Percussionists et Orchestre D’Harmonie, de Emmanuel Sejourné) e realiza concertos com estreias e primeiras audições de obras, como a première da obra Recycling, Coalling and Sampling (versão para grupo) de Edson Zampronha no IV Festival Internacional de Percussão Tomarimbando (onde também actuou em espectáculo com o Quórum Ballet), concerto realizado no CIANTEC’09 – International Congress of Art, New Technologies and Communication, contando com primeiras audições europeias. Em 2011 o Simantra recebeu o 1º Prémio no CIMCA’11 – Concurso Internacional de Música de Câmara “Cidade de Alcobaça”.

Integram o Simantra Grupo de Percussão (http://www.myspace.com/simantra) Fernando Chaib, Leandro Teixeira, Luiz Ferreira, Luís Bittencourt e Ricardo Monteiro.

6 - Ricardo Monteiro.jpg

.

ENTREVISTA

É uma enorme recompensa

pelo nosso trabalho

e um sinal de que estamos

no caminho certo

– diz Ricardo Monteiro

.

P (pergunta) – Que importância tem o CIMCA no panorama nacional?

R (resposta) – O CIMCA é o único concurso internacional de Música de Câmara realizado em Portugal, tendo sido esta a segunda edição. Portanto, sendo pioneiro, tem um papel de destaque importantíssimo.

P – Quantos participantes teve o concurso?

R – Divididos em dois escalões, Júnior e Sénior, o concurso contou com a participação de quinze grupos (dez na categoria sénior e cinco na categoria Júnior), num total de 44 músicos.

P – O que representa a conquista deste 1.º prémio?

R – É uma enorme recompensa pelo nosso trabalho e um sinal de que estamos no caminho certo. O prémio que recebemos, além do monetário, inclui três concertos em lugares de grande importância cultural: CCB (Lisboa), Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012 e CísterMúsica (Alcobaça).

P – Que destino vai ter o valor do prémio monetário?

R – Parte do prémio será dividido entre o Trio. Uma parte significativa será investida na encomenda de novas obras para percussão a compositores portugueses. Esperamos poder estrear essas obras nos concertos de 2012.

P – O que esteve na origem da criação do Simantra?

R – O Simantra foi formado em 2009 e é constituído por alunos da Universidade de Aveiro. Este projecto nasceu da vontade de criar um grupo de percussão no qual pudéssemos desenvolver um trabalho com que nos identificássemos e que permitisse o desenvolvimento e divulgação da música escrita para Percussão. Apesar de neste concurso o Simantra se ter apresentado em trio, o grupo é originalmente um Quinteto.

P – O grupo está associado a alguma instituição?

R – Não. Apesar de todos os integrantes serem alunos ou ex-alunos da Universidade de Aveiro, não temos vínculo com a instituição. No entanto, contamos com o apoio do Departamento de Comunicação e Artes da Universidade no que diz respeito à utilização dos instrumentos. Neste concurso contámos também com a colaboração do Conservatório de Música e Artes do Dão, que nos cedeu a Marimba oferecida pela Fundação Lapa do Lobo e um Vibrafone.

P – Dos concertos já realizados, quais têm mais destaque no trabalho desenvolvido pelo grupo?

R – Apesar do Simantra ser bastante recente, já tocou a solo com a Orquestra de Sopros da Universidade de Aveiro (“Concert Pour Trois Percussionists et Orchestre d’Harmonie” – de Emmanuel Séjourné), participou no IV Festival de Percussão de Tomar – Tomarimbando, realizou um concerto no CIANTEC’09 (International Congress of Art, New Technologies and Communication) e em 2010 tocou no Auditório do Departamento de Música da Universidade de Évora.

P – Que repercussão espera que este prémio venha a ter no futuro do Simantra?

R – Estamos confiantes de que esta vitória nos vai ajudar a projectar o nosso trabalho e abrir novas portas.

Lino Dias

1 Comment

  1. Prezados,

    gostaria de receber esta matéria por e-mail, para que eu possa imprimi-la. É possível?

    Muito obrigado pela abertura e ajuda a divulgar o nosso trabalho.

    Fernando Chaib

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*