Farol da Nossa Terra – Projecto Casas do Lupo inaugurou empreendimento turístico de excelência em Lapa do Lobo
quinta-feira, 20 julho 2017

Empresas — Segunda-feira, 5 Maio 2014 — 5 Comentários

Projecto Casas do Lupo inaugurou empreendimento turístico de excelência em Lapa do Lobo

DSCF0001.JPG

O projecto turístico Casas do Lupo que o casal Carlos da Cunha Torres (licenciado em Direito) e Maria do Carmo Batalha (engenheira agrónoma)  acaba de criar em Lapa do Lobo, aldeia do concelho de Nelas, foi inaugurado na tarde do passado dia 03 de Maio com a dignidade que a importância deste empreendimento de excelência requeria.

Recuperar antigas casas que se encontravam ao abandono e convertê-las numa proposta turística atractiva foi o objectivo deste novo projecto da família Cunha Torres, que já tinha bafejado a aldeia com a instalação da Fundação Lapa do Lobo, instituição vocacionada fundamentalmente para o apoio ao desenvolvimento cultural, educativo e social dos concelhos de Nelas e Carregal do Sal.

A cerimónia da inauguração contou com a presença de autarcas e dirigentes associativos dos dois concelhos e de muitos outros convidados, entre os quais se contavam Acácio Pinto, deputado do PS na Assembleia da República, João Duarte Cruz, ex-director adjunto do Centro Distrital da Segurança Social de Viseu, actualmente com actividade política no Parlamento Europeu, os arquitectos do projecto e representantes de instituições e empreendimentos da região. Foi iniciada com o descerramento da placa de registo da inauguração, por parte de Maria do Carmo Batalha, gestora do funcionamento deste novo empreendimento turístico, e de José Borges da Silva, presidente da Câmara Municipal de Nelas, ladeados por Carlos da Cunha Torres, gestor financeiro do empreendimento, Rogério Abrantes, presidente da Câmara Municipal de Carregal do Sal, Carlos Inácio, presidente da Junta de Freguesia de Lapa do Lobo, e pelo deputado Acácio Pinto.

Primeiro a usar da palavra, o empresário e mecenas Carlos da Cunha Torres frisou que tudo foi pensado de modo a que os utilizadores da unidade de alojamento turístico Casas do Lupo se sintam bem numa aldeia da Beira Alta, num ambiente de grande intimidade e com um tipo de decoração muito pessoal e pessoalizada, de forma a que se sintam mais em casa do que propriamente num hotel. Frisou, a propósito, que não se trata de um hotel, nem haverá competição a esse nível, tratando-se sim de um projecto turístico que valoriza a beleza paisagística da zona, os diversos patrimónios da região e as extraordinárias potencialidades turísticas da Beira Alta, através da oferta de diversos roteiros turísticos, aos quais associou também o projecto “Vale do Lobo”, sito numa propriedade onde está a ser preparado um percurso pedestre de contacto com a natureza e de observação da aviflora. Referiu ainda que o projecto Casas do Lupo irá beneficiar da dinâmica que a Fundação Lapa do Lobo criou na aldeia e em toda a região de sua abrangência, fazendo então questão de ressalvar que a Fundação e as Casas do Lupo são projectos distintos e com objectivos diferentes, que apenas têm em comum os seus promotores.

Convidados a usar também da palavra, o deputado Acácio Pinto e os autarcas Rogério Abrantes e Borges da Silva enalteceram a excelência e a relevância do projecto, congratulando-se com mais esta aposta do casal Cunha Torres na região e com o importante contributo que a mesma representa para a sustentabilidade económica local e a criação de emprego. Acácio Pinto mostrou disponibilidade para divulgar o projecto através do grupo de trabalho do Turismo de que faz parte nas comissões parlamentares da Assembleia da República. Por sua vez, ambos os autarcas deram especial relevo à acção que a Fundação Lapa do Lobo tem exercido nos seus concelhos, o que ali agradeceram publicamente, apesar de saberem, como referiram, que é um projecto distinto daquele que foi agora inaugurado.

Concluídos os discursos, todos foram convidados a conhecer as instalações da unidade de alojamento e núcleo central do empreendimento turístico Casas do Lupo, divididos em vários grupos de visita guiada, cabendo a Maria do Carmo Batalha acompanhar o grupo de individualidades que incluía o deputado, os presidentes de Câmara e o presidente da Junta. Todos ficaram maravilhados com o trabalho de arquitectura e com o primor da decoração, onde tudo é diferente e fascinante em cada dependência, numa perfeita harmonia entre o antigo e o contemporâneo.

No final, um simpático lanche proporcionou agradáveis momentos de confraternização e de desfrute do aprazível recinto ajardinado do empreendimento e da excelente paisagem dali avistada, com a Serra da Estrela num horizonte de relativa proximidade.

.

CASAS DO LUPO – Apresentação

Com exploração integrada da entidade Casas do Lupo – Gestão Turística, Lda, o projecto Casas do Lupo resulta da recuperação de quatro casas rurais, em granito, na aldeia de Lapa do Lobo, e sua adaptação a alojamento turístico de excelência, com total respeito pela arquitectura típica local, beneficiadas com interessantes detalhes de contemporaneidade.

O complexo Casas do Lupo constitui-se como uma excelente alternativa à hotelaria convencional e desenvolve-se em dois núcleos distintos, mas situados, frente-a-frente, no mesmo largo da aldeia. O núcleo central deste empreendimento turístico é composto por três casas de rés-do-chão e 1.º andar, duas com frente para aquele largo e a terceira implantada no jardim, na traseira das outras duas. O outro núcleo é composto por uma casa de rés-do-chão, 1.º andar e sótão. A aquisição desta casa foi apenas determinada pela necessidade de corrigir a sua estética, de modo a não perturbar a traça arquitectónica do núcleo inicial e do espaço em que se insere.

O núcleo central dispõe de oito quartos e zonas de lazer comuns, constituídas por sala de pequenos-almoços, sala de estar e bar, e por um espaço ajardinado, com piscina, bar de apoio e esplanada. O tipo de oferta do outro núcleo é diferente, género T2, incluindo cozinha, sala e varanda, e permite uma estada com total autonomia. O rés-do-chão acolhe alguns serviços da logística de todo o complexo, nomeadamente lavandaria, copa, economato e armazém, e uma pequena loja para venda de produtos característicos da região.

Isto não é só para dormir, é muito mais que dormir” – disse a gestora Maria do Carmo Batalha ao Farol da Nossa Terra, acrescentando que se pode dormir em qualquer lado, “mas aqui tem-se experiências diferentes”. Apontou como pontos fortes da oferta turística das Casas do Lupo a localização privilegiada, “no meio de uma aldeia típica da Beira Alta com vida própria, de ambiente e vivência muito especial”; o completo sossego da aldeia em si, “com gente disponível para falar com as pessoas”; o reaprender a passear, através de vários circuitos à volta da aldeia, num raio de 30 kms, devidamente identificados, com pontos de interesse paisagístico, religioso e arquitectónico. Acrescentou: “Os visitantes podem também desfrutar da natureza através de passeios na nossa quinta, guiados ou não, fazer piqueniques, tomar um gin tónico ao pôr-do-sol no miradouro, por exemplo”.

A proximidade da serra da Estrela, da cidade de Viseu, das Caldas da Felgueira, dos circuitos pré-históricos de Carregal do Sal, do rio Mondego e do rio Dão, os programas de dinamização cultural da Fundação Lapa do Lobo, os bons vinhos e a gastronomia da região, a arquitectura tradicional portuguesa de cariz beirão, a grande potencialidade de organização de programas e jornadas de ecoturismo, e as boas acessibilidades rodoviárias e ferroviárias são alguns dos importantes produtos turísticos consolidados nas ofertas das Casas do Lupo. Tantos outros há a promover e a descobrir, como os locais de memória de Aristides de Sousa Mendes, a serra do Caramulo, o museu Grão Vasco, as romarias, os solares, as quintas vinícolas, as adegas do vinho do Dão, a albufeira da barragem da Aguieira, e muitos mais.

Visitar a aldeia, a Fundação Lapa do Lobo e as Casas do Lupo é apostar num turismo de qualidade, “cá dentro”, de que vale a pena desfrutar!

Lino Dias

5 Comentários

  1. Eduardo de Carvalho diz:

    Bons dias.
    É com grande simpatia que dou os meus parabéns a pessoas que sabem preservar o passado transpondo o mesmo para o presente e deixando o seu legado para o futuro, do que vi adorei e serei vosso hospede numa futura visita a Portugal.
    Um abraço , sucesso grande e sincero.

  2. Carlos Torres diz:

    Sr. Eduardo Carvalho,
    Sou um dos promotores do projecto turístico “casas do Lupo”. Não tenho o prazer de o conhecer pessoalmente, mas desde já muito agradeço as suas simpáticas palavras.
    Ficamos sinceramente à espera que nos visite tão proximamente quanto possível.
    Saudações muito cordiais,
    Carlos Torres

  3. adelino borges diz:

    Parabéns meu caro Dr Carlos Torres.Só agora tomei conhecimento desta grande e excelente iniciativa.Na verdade ,tantas pessoas que eu conheço,e de grande potencial económico,e não se lembram mais das suas terras,e nem casas,que são tantas a caírem.
    Valorizar a nossa terra,e tudo o que se faz é ter amor a este solo Beirão.E, se já tive o prazer de me fazer ouvir nessa Fundação por mais que uma vez,através da minha poesia ,e outros eventos onde muito já admirava a garra humana dessa grande família (Torres),Tive também conhecimento da cedência de transportes gratuitos para os dois concelhos ,o que muito mais revela o vosso sentimento e amor pelo próximo ,correspondendo de algum modo para o bem estar das pessoas que dele necessitam, projeto esse sem fins lucrativos,
    Enfim,o que mais poderei dizer…Obrigado?É pouco ! Mas, sim manifestar o meu orgulho como Beirão ausente da minha terra ,passou de meia centena de anos,e que admiro a vossa vontade ,força e carinho por mais esta grande iniciativa em prol de uma gente que nos poderá visitar e transpor toda esta beleza ao Mundo.
    Queira pois receber os meus parabéns,bem como um grande abraço .
    Que Deus vos ajude nesta tão nobre caminhada, e até uma próxima visita.
    Adelino Borges.

  4. Antero Matos diz:

    enchen-nos de orgulho esatisfacao,como beiroes, que iniciativas desta indule seijam cada vez maispostas em execucao. tantos sao os beiroes que neste lado do atlantico,estao gratos por estas iniciactivas.O nosso obrigado a este casal.

    Antero Figueiredo Matos , natural de freguesia de Dardavaz concelho de Tondela.a residir nos E U A.

  5. António diz:

    Nasci em Beijós e sinto enorme orgulho que na minha terra haja esta fundação. Faço votos para que dê frutos num futuro próximo. Que germine um polo dinamizador de talentos e competencias capazes de projetar esta bela região no país e no mundo. Eu terei todo o gosto de expor as minhas fotografias. Obrigado pela semente.

Deixe um Comentário


Cronistas
Agenda
Agenda completa
Comentários Recentes
Últimos comentários