Farol da Nossa Terra – Manuel Pizarro e José Maria Costa em debate no Clube dos Pensadores tendo como pano de fundo José Sócrates
quarta-feira, 20 setembro 2017

Conferências — Sexta-feira, 28 Novembro 2014 — 0 Comentários

Manuel Pizarro e José Maria Costa em debate no Clube dos Pensadores tendo como pano de fundo José Sócrates

 unnamed (1).jpg

Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores (CdP), recebeu ontem, 27 de Novembro, no Hotel Holiday Inn em Gaia, José Maria Costa, presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo e presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, e Manuel Pizarro,  vereador da Câmara Municipal do Porto.

Um debate entre duas figuras do PS , uma apoiante de António Costa, Manuel Pizarro,  e outra apoiante de António José Seguro, José Maria Costa . A sala estava cheia. apesar da noite de frio e chuva e com a entrevista de Pedro Passos Coelho na RTP.  Muita gente foi ao debate em vez de ficar no conforto do lar.

O debate teve como assunto incontornável José Sócrates e a vida interna do PS. José Maria Costa, mais contido e discreto, não deixou de enviar recados para o Congresso sendo contra a atribuição da presidência do PS a Carlos César . É de opinião que deveria ser uma figura não tão ligada à candidatura interna de António Costa nas eleições primárias.

Quando Joaquim Jorge afirmou que não gostou das contas de mercearia logo a seguir à disputa das eleições internas, que Costa venceu folgadamente com score a rondar os 70%, ficando decidido que os lugares seriam distribuídos  70% para os apoiantes de António Costa e 30% para os apoiantes de António José Seguro, também José Maria Costa se mostrou contrário a  esta metodologia, “que não cai bem na opinião pública”, assim como recolocar as subvenções vitalícias. Referiu ainda que António Costa não deveria ter autorizado que o PS fosse a favor de os deputados e políticos recebessem as subvenções vitalícias. Por outro lado, os partidos tardam a perceber que a lógica de quotas e dos interesses localistas tem de mudar. “Tardam em perceber que têm de apresentar propostas adequadas às necessidades do país e não de ciclos eleitorais. São hoje as questões da governabilidade que se colocam a todos nós e estes são também grandes desafios à Democracia em Portugal”, acrescentou.

Manuel Pizarro  defendeu até à exaustão José Sócrates,  que num estado de direito há presunção de inocência e não se podem fazer julgamentos na praça pública, sendo contra a violação do segredo de justiça.

Houve algum frisson quando Joaquim Jorge referiu que Manuel Pizarro foi membro de um governo de José Sócrates e que pelo dever de lealdade deve defendê-lo e que só lhe fica bem, não podendo ser de outro modo. Porém, o convidado fez-lhe ver que nesta questão há muitos portugueses que acham que José Sócrates é um assunto de justiça fora do âmbito da política e aguardam o desenrolar dos acontecimentos para bem da nação e dos dinheiros públicos. “Quem comete um crime deve ser punido”,  concordou o autarca. No entanto, está completamente contra a tentativa de pressão sobre a justiça, lembrando que o juiz Carlos  Alexandre já foi alvo de ameaças e de assalto na sua residência. “Isso é intolerável. Devemos aguardar que a justiça funcione. Outros porém acham que José Sócrates é inocente e é um absurdo a sua prisão preventiva. Tudo que está acontecer é uma cabala”.

Manuel Pizzarro, com humor e de forma exuberante, salientou depois as causas possíveis da nossa crise pela falta de competitividade: “Portugal não é um país competitivo e isso não é um problema exclusivo de Portugal. As causas possíveis foram a criação do Euro, despareceram os mecanismos de ajustamento financeiro. O alargamento da Europa a leste, que criou desequilíbrios. E o acordo mundial de comércio e a sua liberalização”. Por fim, salientou que há duas formas de ver as coisas: “Há quem ache que Portugal se torna mais competitivo com uma reestruturação, outros que é preciso investimento público para evitar o empobrecimento e fazer andar a economia”. Realçou ainda que a nossa dívida pública, desde 2011, passou de 93% para 134%.

Na assistência esteve presente Narciso Miranda. O próximo debate é dia 15 de Dezembro e fecha o ciclo de debates em 2014.

 

Deixe um Comentário


Cronistas
Agenda
Agenda completa
Comentários Recentes
Últimos comentários