LENDA DO SANTO APOLINÁRIO E OS MOUROS – URROS, TORRE DE MONCORVO

TEIXEIRA DA SILVA *

Teixeira da Silva.JPG.

Tendo os mouros se assenhorado da cidade de Caliabria no ano de 716, o seu bispo, Apolinário, não queria renegar as suas doutrinas que eram as do cristianismo.

Segundo diz a lenda e nesse mesmo ano, os mouros amarraram-no a dois touros bravos, que o levaram arrastado desde a cidade até ao lugar onde se encontra a sua capela, atravessando o rio Douro, na parte da Beira Baixa para Trás-os-Montes. Não se sabe ao certo, se chegado ali ou à cidade de Ravêna (”’), que se localizava mais no alto, foi cruelmente martirizado.

Os cristãos que tinham por ele uma profunda fé e respeito, mandaram erigir um lindo túmulo, lá depositando o corpo do seu santo, que ainda hoje se venera dentro da sua capela. No túmulo estão representados, em relevo, os dois touros que o arrastaram e os mouros que o acompanharam.

.
 
(”’) Nome de uma povoação extinta, que ficava situada na coroa do Outeiro, próximo da aldeia de Urros, no concelho de Torre de Moncorvo.   
.
.
(Baseado in “A Mitologia dos Mouros: lendas, mitos, serpentes, tesouros”, by PARAFITA, Alexandre, Edições Gailivro, ano 2006, páginas 324 e 325)

.

Pesquisa e adaptação de

TEIXEIRA DA SILVA, AJ

Gondomar, Porto, Portugal

4 Comments

  1. Ex.mo senhor
    Desde já quero agradecer lhe pela publicação do excerto sobre a vida de Santo Apolinário, Mártir.
    Pedia lhe que fizesse a correção do nome da aldeia :
    A aldeia chama se URROS, pertence sim ao concelho de Torre de Moncorvo.
    URRÓS pertence ao Concelho de Mogadouro.
    Obrigada
    Maria José

  2. Por via das dúvidas e ao abrigo do NAO (Novo Acordo Ortográfico) os acentos nas palavras agudas foram abolidos. Ainda assim e para se tornar mais compreensivel darei instruções ao editor para que separe o trigo do joio e coloque os ditos acentos. O texto pertence a URROS (sem acento), concelho moncorvense.

  3. Caro senhor Teixeira
    Realmente os assento foram abolidos, mas não aqueles que dizem respeito a localidades ou outras de origem etimológica.
    A Aldeia de Urros a que se refere este texto faz parte do Concelho de Torre de Moncorvo ( de onde sou natural), Urrós pertence ao concelho de Mogadouro. Como vê um acento faz toda a diferença……
    O seu a seu dono
    Como vê não é necessário separar trigo do joio, mas sim saber documentar se e informar-se devidamente quando publica um artigo histórico.
    Para qualquer esclarecimento o grupo amigos de Urros, tem muitas outras informações históricas caso queira conhecer.
    Obrigada
    Maria José

  4. A antiga cidade de Calábria e bispado de Caliábria que apesar de ser confusa a sua origem, sabe-se que foram os Godos que a fundaram, reinava em Espanha o Godo Suintilla no ano 621, nesse período era Metropolitano da Lusitania Renovato e São Isidro,pelas actas do Concílio Lucense consta terem sido os Godos que edificaram a diocese de Calábria, mas antes constava como paróquia da diocese de Viseu “ Ad Vesense Caliabria, que apud Gothos postea Sedes fuit” é mencionada ”illam civitatem dictam de Calabriam quae iacet inter Coam e Agadam, cum omnibus directis et pertinentiis suis, mas num documento apócrifo “Civitatas vetustissima, in Lusitania Hispaniae supra Dorium
    fluvium in vertice montis excelsi sita, quam hodie Oppidani Calavre vovitant, in território Almendra. Nunc ejus ruinae visintur et murorum strués, licet temporum anfractibus intercise diruta, qua et in ejus terminis inscriptiones sepulchrales, Romanis literis incisae, plurimae reperintur, urbis antiquitem praeferunt et
    canitiem manifestem.
    Na divisão da Hispânia em cinco províncias civis do tempo de Constantino Magno, que eram a Tarraconense, Cartaginense,Bética, Lusitana com capital em Mérida e Bracarense, às quais correspondiam também as divisões eclesiásticas da igreja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*