Alunos da Universidade Sénior de Carregal do Sal confraternizaram em Ceia de Natal

IMG_0062.JPG

No passada sexta-feira, 16 de Dezembro, alunos, professores e convidados juntaram-se no salão da Associação Recreativa de Pinheiro para, a pretexto da ceia de Natal da Universidade Sénior de Carregal do Sal (USCSAL), poderem reviver o espírito natalício e conviver em ambiente de alegria e companheirismo.

Nem todos os alunos e professores puderam estar presentes, mas mesmo assim registaram-se 52 presenças, entre as quais se contavam José Sousa Batista, vice-presidente da Câmara Municipal de Carregal do Sal, Aida Almeida, representante da Junta de Freguesia, e Eduardo Marcos, presidente da direcção da associação que acolheu o convívio.

Confeccionado por Leonilde Lopes, directora daquela associação, o bacalhau cozido com batatas e couves deu sentido à tradição, assim como o bolo-rei e outra doçaria de sobremesa. O serviço de mesas esteve a cargo da filha e do neto daquela directora, sempre simpaticamente atenciosos.

“É sempre bom conviver”, assim iniciou Inácio Lourenço, presidente da direcção da USCSAL, a sua mensagem natalícia, acrescentando: “É isto que nos move e nos traz forças. Não é fácil e tudo dá trabalho, mas quando se corre de vontade tudo é simples”. Frisou: “Sabemos que ainda há quem não tenha percebido o sentido deste trabalho, mas os nossos colegas alunos poderão testemunhar o benefício que todos sentimos”. Referiu depois que as universidades seniores foram criadas para que “a juventude permaneça nas pessoas que por ela já passaram” e que é muito importante que essas pessoas se mantenham activas no saber e na convivência, e assim “fugir ao isolamento para que o próprio tempo nos arrasta”. Agradeceu, então, aos professores o tanto que lhes têm dado do seu tempo voluntário.

“Parece que foi há meia dúzia de dias o início do ano lectivo e já estamos no fim de um período de aulas” – começou por afirmar o vice-presidente da Câmara, ao usar também da palavra, para seguidamente referir que a passagem do tempo pesa mais nestas idades, em que o tempo parece passar mais rápido. Anotou então: “Temos que saber viver o tempo. Se conseguirmos saber viver esse tempo, conseguiremos uma vivência mais feliz”. Depois de algumas considerações acerca do Natal e da forma como os idosos o vivem, comparando-a à vivida pelas crianças, desejou que a comunidade seja mais feliz e consiga o espírito de Natal, realçando ainda que “nenhum aluno nos deixou” desde o último convívio de Natal.

Por fim, o coro da Universidade Sénior presenteou os restantes convivas com cantares que alegraram e enriqueceram o momento, incluindo o hino da própria USCSAL, da autoria do professor de português Carlos Machado Pina, que ali recebeu o merecido elogio.

Lino Dias

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*