Farol da Nossa Terra – 1.º Curso de Enxertia em Pinheiro Manso em Carregal do Sal participado por vinte formandos
segunda-feira, 22 maio 2017

Floresta — Terça-feira, 16 Maio 2017 — 0 Comentários

1.º Curso de Enxertia em Pinheiro Manso em Carregal do Sal participado por vinte formandos

IMG_0007.JPG

Organizado pela Associação de Produtores Florestais do Planalto Beirão (APFPB) em conjunto com a Câmara Municipal de Carregal do Sal, o 1.º Curso de Enxertia em Pinheiro Manso deste concelho foi levado a efeito hoje, 16 de Maio, orientado por João Pedro Azevedo Gomes, técnico da Associação de Produtores Florestais do Vale do Sado (ANSUB).

A formação decorreu numa plantação de pinheiro manso pertencente a Abílio Correia, de Sobral, sita no lugar da Retorta, participada por 20 formandos (17 masculinos e 3 femininos), suplantando o limite (15) anunciado de inscrições, o que releva, só por si, um sucesso de adesão do curso e o grande interesse que o mesmo encontrou.

A cada formando foi oferecida pela APFPB uma navalha de enxertador e foi com essa ferramenta e uma tesoura da poda que os formandos tiveram oportunidade de experimentar a enxertia em pinheiros, depois de o formador ter explicado as respectivas técnicas e ter demonstrado a aplicação das mesmas na enxertia. Todos os formandos experimentaram os conhecimentos obtidos, tendo muitos deles deixado o nome escrito no saco de papel aplicado na protecção da enxertia, para mais tarde poderem identificar os pinheiros que enxertaram e verificar se esse trabalho teve sucesso.

Além da própria enxertia, foram também esclarecidos outros procedimentos a ter conta, como a época em que a mesma deve ser feita, os prazos de retirada do saco de papel (um mês após a enxertia), do saco de plástico (dois meses) e da fita PVC (primavera seguinte) e a desramação de arejamento do enxerto bem sucedido (outono/inverno do mesmo ano da enxertia).

No final da formação, cada formando recebeu um certificado de participação no curso, emitido pela Câmara Municipal. Este curso esteve programado para o dia 05 de Maio, mas teve de ser adiado devido à chuva, dado que a enxertia do pinheiro manso não deve ser feita com tempo chuvoso, pelo risco de apodrecer o garfo.

Segundo disse Manuel José Cortês, presidente da Direcção da APFPB, esta associação tem sido frequentemente contactada por proprietários de pinheiros mansos para enxertar, que deixou de atender por não ter funcionários habilitados a fazer esse trabalho, resolvendo, então, promover este curso, iniciativa a que a Câmara Municipal se associou com o pagamento do seu custo, tendo no pinheiro manso uma nova centralidade de forte aposta do concelho.

De salientar que a rentabilidade do pinheiro manso está ligada à produção do pinhão para a indústria alimentar, compreendendo-se, por isso, a necessidade de melhorar e aumentar a produção de pinhas recorrendo a novas técnicas, entre as quais está o melhoramento genético, em que se utiliza a enxertia, uma técnica de propagação vegetativa que também antecipa a produção de pinhas, permitindo ao produtor florestal benefícios económicos de curto prazo.

Lino Dias

Deixe um Comentário


Cronistas
Agenda
Agenda completa
Comentários Recentes
Últimos comentários