Farol da Nossa Terra – II Capítulo da Confraria Gastronómica e Enófila de Terras de Carregal do Sal homenageou Aristides de Sousa Mendes
quarta-feira, 28 junho 2017

Gastronomia — Sexta-feira, 19 Maio 2017 — 0 Comentários

II Capítulo da Confraria Gastronómica e Enófila de Terras de Carregal do Sal homenageou Aristides de Sousa Mendes

IMG_0081.JPG

A Confraria Gastronómica e Enófila de Terras de Carregal do Sal realizou o seu segundo Capítulo no passado domingo, 14 de Maio, com a entronização 27 novos confrades e a presença de 12 confrarias convidadas.

Fazendo a confraria homenagem a Aristides de Sousa Mendes neste capítulo, o programa foi iniciado frente à Casa do Passal, antiga residência do cônsul, em Cabanas de Viriato, com a recepção e o pequeno-almoço. Seguiu-se a cerimónia protocolar, às 11h00, no auditório do Centro Cultural de Carregal do Sal, onde, além das confrarias e dos confrades, também familiares e amigos de alguns dos novos entronizados marcaram presença.

Na mesa de honra estiveram Rogério Mota Abrantes, presidente da Câmara Municipal; Carlos Artur Henriques, juiz da Confraria; Vasco Jorge Matias Almeida, mordomo-mor; Pedro Couceiro da Costa, presidente da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas; Fernanda Santos Silva, representante da Confraria do Bucho de Arganil; António Rafael Amaro, representante da Confraria do Queijo Serra da Estrela; e Paulo Albernaz, membro do conselho de administração da Fundação Aristides de Sousa Mendes.

Nas intervenções protocolares usaram da palavra o juiz e o mordomo-mor da confraria anfitriã, o presidente da federação das confrarias, os referidos representantes das confrarias madrinhas (Bucho de Arganil e Queijo Serra da Estrela) e o presidente da Câmara Municipal. Dessas intervenções, há a realçar a importância atribuída às confrarias na promoção dos territórios e suas potencialidades.

Coube a António Pedro de Moncada Sousa Mendes, neto de Aristides de Sousa Mendes, proferir a oração de sapiência de homenagem ao avô, na condição de representante da Fundação Aristides de Sousa Mendes. De forma sintética, fez uma descrição das origens de Aristides de Sousa Mendes e da sua carreira diplomática, esclarecendo depois os aspectos da desobediência do avô à circular que o proibia, quando cônsul em Bordéus, de passar vistos para Portugal aos milhares de pessoas que salvou dos horrores da segunda guerra mundial, entendendo Aristides de Sousa Mendes que aquela circular ia contra os valores da Constituição vigente. «Só com gestos de grande coragem podemos fazer um mundo melhor», salientou António Moncada, acentuando que essa foi uma grande lição que o avô deixou à família e que interessa agora que os grandes gestos sejam recuperáveis, “como muitos o fazem e o estava a fazer esta confraria”.  Associando a escolha do seu avô para tema da oração de sapiência à vertente gastronómica da confraria, lembrou que Aristides de Sousa Mendes sempre privilegiou a comida portuguesa, fazendo-se acompanhar por cozinheiros portugueses nos consulados por onde passou, logo desde o primeiro, em Zanzibar (África Oriental).

Após a proclamação da carta dos deveres dos confrades, foram entronizados os novos confrades efectivos, nomeadamente: Ana Isabel Magalhães Simões Almeida, António Nelson Nunes Ferreira, Carlos Alberto Rolo Silvério, Carlos Manuel Queiroz Bento, Casimiro Almeida Gomes, Fernanda Lima Henriques Monteiro, Fernando Marques, Joana Carvalho Lopes, João Paulo Monteiro Correia, Jorge Manuel Monteiro Correia, José António Fernandes Soares de Melo, José da Cunha Couto, José Manuel Dias de Figueiredo, José Manuel Lopes Flórido, Luciana Gomes Henriques, Luís Carlos Alves Abrantes, Luís Miguel Rodrigues dos Santos, Manuel António Tavares dos Santos, Maria da Anunciação Correia Mendes Norte, Maria do Carmo Soares de Albergaria Rodrigues Morais Carvalho, Maria Fernanda dos Santos Ribeiro, Olga Saavedra Queiroz, Pedro Emanuel Alves Dias Moreira, Rui Manuel Fonseca Morais Carvalho, Rui Manuel Neves Pinto, Sandra Bárbara da Silva Soares e Susana Amélia Loureiro Fernandes Ribeiro.

No ritual da entronização, os novos confrades, além da declaração individual de cumprimento dos seus deveres, receberam a capa, o chapéu, o escapulário, o diploma e uma lembrança (azulejo alusivo a Aristides de Sousa Mendes). Já devidamente trajado, cada novo confrade sujeitou-se ao tradicional toque de bastão nos ombros pelo juiz da confraria e depois assinou o respectivo livro de entronizações.

Foi também atribuída a distinção de Confrade de Mérito à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Cabanas de Viriato, à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Carregal do Sal e à Lusovini Distribuição S.A., ali entregues aos presidentes de direcção daquelas associações e a uma sócia da empresa vinícola. Acontecendo pela primeira vez nesta confraria, foi ainda atribuída a distinção de Confrade de Honra à personalidade do tema da oração de sapiência (Aristides de Sousa Mendes), entregue a António Pedro de Moncada Sousa Mendes, que o mesmo confiou a Paulo Albernaz para figurar no museu que a Fundação Aristides de Sousa Mendes pretende instalar na Casa do Passal. Na altura, também Paulo Albernaz usou da palavra, felicitando a confraria pela homenagem a Aristides de Sousa Mendes e agradecendo esse gesto.

A homenagem incluiu ainda a visualização de um vídeo com excertos de “Aristides, o Musical”, produzido pela Contracanto, com texto original de Sandra Leal, encenado por António Leal, apresentado naquele auditório no passado mês de Abril, com enchentes em todas as sessões. Depois desse vídeo, foi também apresentado o vídeo promocional do Município.

Por fim, procedeu-se à entrega de lembranças às confrarias convidadas: Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas (Tentúgal), Confraria das Almas Santas da Areosa e do Leitão (Aguada de Cima), Confraria do Queijo Serra da Estrela Oliveira do Hospital), Confraria do Torresmo Beirão (Vila Franca da Beira), Confraria dos Amigos da Jeropiga de Moinhos (Moimenta do Corvo), Confraria dos Bolos, Doces, Aguardentes e Licores de Ervedal da Beira, Confraria dos Carolos e Papas de Milho (Canas de Santa Maria), Confraria dos Gastrónomos da Região de Lafões (Vouzela), Confraria dos Rojões da Bairrada com Grelo e Batata à Racha (Oliveira do Bairro), Confraria Gastronómica do Bucho de Arganil, Confraria Gastronómica do Cabrito e da Serra do Caramulo (Caramulo), Confraria Gastronómica do Cabrito Estonado (Oleiros) e Confraria Saberes e Sabores da Beira Grão Vasco (Viseu).

O almoço decorreu no pavilhão polivalente do quartel dos Bombeiros Voluntários de Carregal do Sal, para onde todos se deslocaram em cortejo apeado, com os trajes das confrarias a espalharem um brilho especial pelas ruas da vila. Na animação do almoço esteve o grupo “Viriatus”, da Filarmónica de Cabanas de Viriato.

Lino Dias

Deixe um Comentário


Cronistas
Agenda
Agenda completa
Comentários Recentes
Últimos comentários