Centro Cultural de Carregal do Sal acolheu novo espectáculo de angariação de fundos a favor da Liga Contra o Cancro

IMG_0001.JPG

Num figurino diferente dos outros anos, mais simplista, o Grupo de Voluntariado de Carregal do Sal da Liga Portuguesa Contra o Cancro levou a efeito na tarde de domingo, 15 de Novembro, no auditório do Centro Cultural, mais um espectáculo de angariação de fundos.

Teatro e desfile de vestidos de chita preencheram desta vez o programa, não contando, portanto, com a habitual colaboração dos grupos de música tradicional do concelho, que só por si arrastam gente das suas terras. Talvez aí a razão de a assistência não ter sido tão numerosa como de outras vezes, dando a perceber que, mais ou menos, metade dos lugares ficaram vazios, talvez sem ultrapassar a centena de presenças.

Foi com teatro da Universidade Sénior de Carregal do Sal que o espectáculo começou, na sátira “Só vejo o que quero”, interpretada por Mimi Fontes, Inês Ribeiro e Ana Barbedo numa “ida ao oftalmologista”. As gargalhadas começaram a ouvir-se, deixando em alta a expectativa para os outros sketches.

Seguiu-se a primeira das três partes em que o desfile de vestidos se dividiu, com apresentação de Maria Batista, a qual vestia também um vestido daqueles. Antes de chamar os modelos, a apresentadora descreveu como surgiu a ideia de Alzira Soares na criação dos vestidos em actividade de ocupação de tempos livres do grupo Artes & Sabores Fialenses, de Fiais da Telha, vindo a ser ali confeccionados 34 vestidos pelas costureiras Aduzinda Soares e Isabel Rocha, auxiliadas por Maria Amélia Pereira e Maria José Lopes, depois exibidos pela primeira vez em público no salão da associação de Fiais da Telha (ARDFT) em Novembro do ano passado.

Oito crianças desfilaram na primeira parte do desfile e nas outras partes desfilaram oito senhoras de faixa etária intermédia e nove de maior idade. Entre a segunda e a terceira partes, o teatro voltou ao palco, com mais dois sketches do grupo da Universidade Sénior.  Mimi Fontes e Ana Barbedo, no papel de “Duas manas teimosas ou teimosinhas”, interpretaram a rábula “Quem nasceu primeiro, a galinha ou ovo?”, seguindo-se a sátira da “Ida à ópera”, interpretada por António Ribeiro, Orísia Silvestre, Fernando Santos, Olinda Santos e Inês Ribeiro, numa dramatização cómica que levantou muitas gargalhadas da plateia e confirmou a boa participação da Universidade Sénior no espectáculo.

Terminado o desfile, a apresentadora convidou as costureiras para se juntarem a todos os modelos reunidos no palco, para os aplausos finais, tendo então a vereadora Ana Cristina Borges tido o cuidado de chamar também os actores do Grupo de Teatro da Universidade Sénior, merecedores de igual atenção, assim como as voluntárias do Grupo de Voluntariado presentes, do qual a vereadora faz parte.

Na subida ao palco, Cristina Borges fez-se acompanhar por Vera Durão, técnica do Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro, e Ana Marília Pêga, técnica superior/chefe da Divisão de Acção Social da Câmara Municipal. Ao usar da palavra, a representante da Liga elogiou a iniciativa e agradeceu o espectáculo. Apercebendo-se que todos aqueles voluntários são femininos, deixou o desafio para que também homens se juntem ao grupo de voluntariado. Por sua vez, Cristina Borges mostrou-se agradada com o espectáculo e a assistência registada, referindo depois que a Câmara Municipal não poderia deixar de estar ligada a esta causa.

Os fundos angariados resultaram dos bilhetes para o espectáculo, a custo de dois euros por pessoa, e de uma banca com venda de habituais artigos identificados com o nome da Liga (t-shirt’s, pin’s, bonés, sacos, esferográficas, porta-chaves, etc.).

Lino Dias

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*