Orfeão de Leiria reativa Orquestra Sinfónica sob direção do maestro Nuno Almeida

ORQUESTRA SINFONICA

O Orfeão de Leiria Conservatório de Artes (OLCA) acaba de reativar a Orquestra Sinfónica de Leiria, recuperando uma marca emblemática da instituição, que pretende ser uma referência para a cidade e para a região centro. «A reativação da Orquestra Sinfónica de Leiria é algo que ambicionávamos há algum tempo por reconhecermos a importância que um grupo destes tem para uma cidade como Leiria, onde cada vez mais proliferam os eventos culturais bastante diversificados», partilha Acácio Sousa, presidente do OLCA.

O responsável desta instituição considera ainda que «a Orquestra Sinfónica será como uma montra do trabalho que desenvolvemos com os nossos alunos, mas terá também o objetivo de atrair músicos que desenvolvam o seu percurso fora de Leiria, apostando na elevada qualidade dos repertórios e na realização de performances continuadas». Acácio Sousa entende que «uma Orquestra Sinfónica na cidade constitui um importante argumento cultural e é mais um importante passo neste caminho que temos de percorrer para ver Leiria Capital Europeia da Cultura 2027».

A Orquestra Sinfónica foi criada em abril de 2008 sob a direção do maestro Alberto Roque, ostentando o nome da sua cidade, Leiria, a exemplo de congéneres de escolas e universidades inglesas e americanas. Este grupo é constituído pelos alunos mais qualificados, pelos professores instrumentistas da Escola de Música do Orfeão de Leiria (EMOL) e ainda por outros músicos convidados. A sua estreia absoluta foi a 4 de abril de 2008 na Igreja do Convento da Portela em Leiria, local que irá agora acolher o concerto “Um Natal Português”, que marca o seu regresso, no dia 1 de dezembro, desta feita sob a orientação do maestro Nuno Almeida, num espetáculo inédito na região, que juntará em palco mais de uma centena de músicos e coralistas.

«Será sem dúvida um concerto marcante, com a particularidade de ser também um espetáculo 100% português, desde os compositores aos músicos e coralistas», considera Nuno Almeida. O maestro não vê «melhor forma de assinalar a reativação da Orquestra Sinfónica de Leiria» recordando que «este concerto nunca foi apresentado na integra na região centro/sul do País». Sobre a reativação, Nuno Almeida reconhece que é «um processo complexo», pelas diferentes vertentes que estão envolvidas, e pela necessidade garantir um elevado nível de excelência. O espetáculo contará com 45 instrumentistas da Orquestra Sinfónica, com um ensemble de fautas de bisel e com os elementos do Coro do Orfeão de Leiria e do Coro de Câmara do Orfeão de Leiria, que durante o concerto «irão protagonizar sucessivos diálogos entre si».

“Um Natal Português” é apresentada pelos seus compositores como uma peça única, dividida em quatro “andamentos” diferentes, onde cada um procurou encontrar, da melhor forma, a tradução coral-sinfónica de cada uma das melodias populares. Para tal, foram adotados processos e técnicas que permitissem recriar o ambiente singular de cada uma das melodias, amplificando e expandindo de diversos modos as suas originárias expressões, de forma a cruzar o popular e o erudito.

NUNO ALMEIDA

Nuno Almeida nasceu no Porto em Maio de 1993. Inicia o seu percurso musical no Instituto Orff do Porto no ano de 1997. Em 2004 ingressa no Conservatório de Música do Porto na classe de piano da Professora Anne Marie, e mais tarde na classe da Professora Arminda Odete.

Posteriormente, é admitido na classe de órgão do Professor Doutor António Paulo Alvim onde vem a completar o curso complementar em órgão literatura e órgão improvisação/acompanhamento. Ainda nesta instituição tem como professores de composição os Professores Fernando Lapa e Fernando Valente. Em 2012 ingressa na Universidade de Aveiro na Licenciatura em Direção, Teoria e Formação Musical, concluída no ano 2015. No ano seguinte termina também o V Curso Nacional de Música litúrgica, com durabilidade de quatro anos, onde se vem a diplomar em órgão literatura/ acompanhamento litúrgico com o Professor António Esteireiro como principal orientador.

Exerce o papel de maestro coadjuntor no ano letivo de 2015/16 do Coro da Universidade de Aveiro, onde tem oportunidade de trabalhar obras como II Sinfonia de Mahler, Requiem de F. Delius, entre outras. Com este mesmo coro, organiza e dirige um concerto na Igreja de Cedofeita (Porto), onde são apresentadas obras de A. Pärt, M. Duruflé, entre outros.

Frequenta o segundo ano de Mestrado em Direção Coral na Universidade de Aveiro sob orientação do Professor Doutor Vasco Negreiros, exerce funções de organista na Igreja de S. Martinho de Cedofeita (Porto) e é ainda colaborador no Santuário de Nª Sª de Fátima. Trabalha também com frequência na Sé Catedral de Coimbra, contribuindo como organista e compositor.

É docente no Orfeão de Leiria Conservatório de Artes e maestro titular do Coro Orfeão de Leiria.

.

João Alves Costa

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*